Buscar
  • ellevtinteligencia

Empresário, onde está o seu lucro?

Atualizado: 7 de jan.



Ao longo de minha vida profissional, perdi as contas de quantas vezes ouvi a frase, “onde está o lucro da empresa?”. Em geral esse fenômeno acontece porque há uma distância enorme entre

o DRE e o caixa da empresa (por conta das diferenças entre os regimes de caixa e competência), que na prática é o que o empresário sente na pele. Eles olham para o banco e percebem que estão usando a conta garantida, o cheque especial ou antecipando recebíveis e não entendem a diferença conceitual dos termos. Esse contraste é que traz a sensação de incoerência apresentada na DRE, frente à realidade financeira da empresa. E me conta, quantas vezes você passou por isso?

Olhando apenas para o lucro, este pode ter realmente desaparecido: Por erros, perdas volume das receitas, perda de produtividade e ineficiência. O lucro também pode ter simplesmente modificado sua forma, mas ainda estar dentro da empresa, porém ocultado pela dinâmica empresarial, onde o dinheiro se transforma em estoque, em seguida em mercadorias, depois em contas a receber, para finalmente, após o recebimento, voltar ao estado original, lucro!

O problema pode estar em algumas possibilidades mais prováveis, e que na minha experiência profissional em diversas empresas, percebo que são comuns:

1) A empresa pode estar apurando equivocadamente sua margem de lucro (não se assuste, é mais comum do que você imagina), esquecendo para trás, custos e despesas não lançados. Isso ocorre pela falta de um sistema de custeio, que identifique e considere todos os gastos incorridos na empresa e a devida alocação no ato da formação de preço dos produtos, mercadorias ou serviços. Você sabe qual é o custo de cada produto/serviço da sua empresa?

2) A empresa pode estar tendo perdas não detectadas e, portanto, não lançadas. Nesse caso, falhas de processos, falha de produtividade, a falta de controles gerenciais adequados, falta de supervisão, a negligência nos lançamentos das informações no sistema ou até mesmo roubos podem estar ocorrendo. Seus processos financeiros estão adequados?

3) Outras vezes, a queda nas vendas ocorre por muitos meses seguidos e a empresa passa a operar abaixo do Ponto de Equilíbrio (nível de vendas mínimo para não se ter prejuízo), em grande parte, ainda desconhecido pelo empresário. Você conhece o P.E. da sua empresa?

4) Fluxo de caixa desequilibrado, que nada mais é do que um “descasamento” entre as entradas e saídas de recursos financeiros do caixa da empresa. Dessa forma, pode ocorrer que, mesmo a empresa operando com lucro, esse desequilíbrio acaba por levar o negócio a depender de recursos de terceiros e o custo desses juros, corroí todo o esforço das equipes e gestores. Nada é mais desanimador do que chegar ao fim do mês com a meta comercial batida, porém com dificuldade em pagar seus funcionários, não é mesmo?

As possibilidades de ineficiência não se esgotam nesses aspectos, mas acredito que eles são bem frequentes e que podem estar acontecendo na sua empresa. Concluindo, a solução para se combater esse problema passa pelo apoio de profissionais especialistas e pela aplicação de ferramentas técnicas adequadas.

Procure o caminho da profissionalização: esse é o caminho para a perenidade de sua empresa. Vamos em frente!

1 visualização0 comentário